domingo, 26 de abril de 2015

Dia de Moleza






Não sei onde estou!...
E não paro!
Sinto que caminho pela terra meio seca.
Tenho de ser paciente!
Para alcançar os objectivos.
O caminho é tão ... longo. 
Triste e Contente.
Tenho fome ... da palavra ao acto.
O alimento distrai o pensamento ...
Na constante luta, esvazio o pote das emoções.
Estar disponível ... é necessário.
As vezes queria-me perdida ... nas certezas da vida.
Com o avançar do tempo e caminho, 
as certezas tornam-se mais certas.
Já não há espaço para a confusão, só 
para o drama, de quando em vez.
Estou dentro do sossego, desassossegada-mente!
Sinto uma doce paz ... 
não sei em que momento!
No principio, no meio e no fim ...
estou meio presente.

Flor Ferrão








Sem comentários:

Enviar um comentário