quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Era fictícia a Felícia

Era fictícia a Felícia  
Sim, e uma delicia também.
Tinha pouca malícia
Vestida de desdém foi ao armazém

O sol queria raiar de dentro dela 

Não há seres humanos iguais
Via-se a auréola 
Prestem atenção aos quais 

De cima, de onde se vê 
Tudo muito simples e concreto 
É lá onde eu gosto de estar
È lá onde eu gosto de me encontrar

O simples e concreto 

Da parte de cima
Em cima de uma nuvem
Onde passeio pelo mundo todo

Exijo o desapego 

Que eu estude ... para Mago Branco
No serviço
Nas vidas dos semelhantes

É onde eu cresço

É onde eu subo, na sabedoria, no poder e ser.
É no serviço a outrem ... sem expectativas 
É onde adquiro o fruto do conhecimento 
A satisfação do bem ... de satisfazer

Flor Ferrão


Sem comentários:

Enviar um comentário